A TROUXE-MOUXE

Nome:
Localização: Portugal

domingo, julho 15, 2018

"My October Symphony" , Pet Shop Boys !



Do álbum "Behavour" [1990] é uma música absolutamente sublime e por sua vez a letra é uma crítica mordaz com requinte britânico à chamada Revolução de Outubro de 1917 e o seu produto final - a União Soviética ; não foi por acaso é que o Muro de Berlim foi derrubado um ano antes da edição deste disco.

(...) How October's let us down / Then and now (...) .

Poderá escutar em:

https://www.youtube.com/watch?v=JVBhspErbms&spfreload=1


So much confusion
When autumn comes around
What to do about October
How to smile behind a frown?
It's hard to settle down

It's so bemusing
Will they cancel the parade?
We marched each October
Now they say we were never even saved
We must be very brave

Shall I rewrite or revise
My October symphony?
Or as an indication
Change the dedication
From revolution to revelation?

So we're all drinking
As leaves fall to the ground
Because we've been thinking
How October's let us down
Then and now

Shall we remember
December instead?
Or worry about February?
Mourn our war-torn dead
Never seeing red?

Shall I rewrite or revise
My October symphony?
Or as an indication
Change the dedication
From revolution to revelation?

sábado, julho 14, 2018

"Fundo da Gaveta" , Vasco Pulido Valente .


Cada livro de Vasco Pulido Valente é sempre um acontecimento e neste caso tive a grata oportunidade de assistir à sua apresentação e valeu mesmo a pena !
 
Trata-se de um ensaio brilhante da vida portuguesa entre 1823 e 1870 (monarquia constitucional portuguesa), ao qual o autor deu o sub-título " Contra-Revolução e Radicalismo no Portugal Moderno" .
 
O autor demonstra a tentativa falhada de modernização do país, que não conseguiu reformar o Estado, fazer a economia crescer bem como educar a sociedade e que fatalmente desembocou na revolução republicana de 1910 .

quinta-feira, junho 21, 2018

Quando o Caos Vem de Cima !


No passado, a anarquia, a desordem e o caos associados eram invariavelmente provenientes dos mais desfavorecidos social e economicamente, porém atualmente é exatamente no topo das estruturas públicas - e não só - a origem mais que evidente da contínua desorganização, que varre transversalmente e quase por completo a órbita do setor estatal.

Os exemplos abundam, desde a sistemática decapitação do comando da estrutura de proteção civil paralisando-a na prática por completo, passando pela saúde pública, onde hoje só uma figura mediática pode ter a garantia de atendimento adequado e em tempo aceitável.

A opção governamental de privilegiar a contratação de funcionários públicos, em detrimento de atualizações salariais dos existentes, traduzir-se-á por gente a mais no Estado com salários degradados e inevitavelmente baixa produtividade, o oposto da qualidade nos serviços, das boas práticas europeias e até de alguma retórica oficial.

Na administração, a informatização conjugada com uma reestruturação racional, permitiria levar a uma redução de pessoal comparativamente com o passado recente, implicando maior qualificação, mas a tutela nega o mais que óbvio.

O planeamento de recursos humanos através de indicadores de gestão e um quadro de dirigentes escolhidos por mérito através de concurso são duas condições incontornáveis a observar; a primeira está completamente ausente decorrente de inobservância da segunda, quando temos em quantidade apreciável, chefias nomeadas por afinidade partidária, seguidismo, ou pior, sem formação adequada à função, limitando-se desta forma ao papel de meros capatazes de ocasião.

O resultado é um monumental desperdício de recursos - ineficiências de toda a ordem – com decisões tomadas por critérios de “palpitismo”, ou outros sem um átomo de racionalidade.

Como sói dizer-se nas academias militares: não há maus soldados, mas tão só maus oficiais!

Post Scriptum : Há poucos dias o Observatório Português dos Sistemas de Saúde revelou que o país desconhece os profissionais de saúde que estão efetivamenter a trabalhar, o que invalida qualquer política de proridades de recursos humanos, trata-se de uma situação absolutamente inadmíssivel.

quarta-feira, junho 13, 2018

"L'enfant Terrible " - O Garoto Traquinas !


sexta-feira, maio 11, 2018

Nigel Farrage no Parlamento Europeu - 2018/05/03


Bem sei que este vídeo foi colocado pelo UKIP, agrupamento político pelo qual não nutro qualquer simpatia, mas entendo ser pertinente refletir e analisar os argumentos de Nigel Farrage, é que alguns deles acabam mesmo por ter fundamento e como sabemos a razão na esmagadora maioria dos casos, nunca está completamente do nosso lado !

Vejamos só algumas:

- Quando o então primeiro ministro britânico David Cameron se encontrou com o presidente da Comissão Europeia Jean Claude Juncker, tivesse este último feito algumas pequenas concessões, tais como permitir ao Reino Unido controlar efetivamente as suas próprias fronteiras jamais teria ocorrido o Brexit.

- A contínua redução da soberania política dos estados membros da U.E.(União Europeia) em favor da Comissão Europeia e do Parlamento Europeu tem causado forte contestação em alguns países membros.

O caso da Bélgica constitui uma exceção a estas reações adversas, dado o carácter singular deste território, que em boa verdade não é uma nação no sentido consolidado do termo, uma vez que se trata de uma criação artificial onde existem duas comunidades principais que se odeiam - Valões a sul e Flamengos a norte - com idiomas diferentes françês e holandês respetivamente, em que nem sequer existe uma televisão ou jornal nacionais.

terça-feira, maio 08, 2018

"Regras da Sensatez" - Rui Veloso


terça-feira, maio 01, 2018

Albert Einstein [1879-1955]

Insanidade - é fazer sempre e sempre a mesma coisa e depois esperar resultados diferentes.